PAPD - PROGRAMA DE ATIVIDADES FÍSICAS PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

 

 

 

PRINCIPAIS CAUSAS

CAUSAS PRÉ-NATAIS:

Problemas que ocorrem durante a gestação que atingem o feto. Exemplos:

  • Idade da mãe (pesquisas demonstram que mães com menos de 20 anos e mais de 35 anos tendem a gerar um maior número de filhos com deficiência;
  • Multiparidade (mulheres com 5 ou mais partos, tendem a ter bebês de baixo peso e maior incidência de complicações na gravidez);
  • Intervalo gestacional (intervalo de menos de 2 anos entre uma gravidez e outra pode provocar crianças de baixo peso ao nascer, além de comprometimentos motores e intelectuais);
  • Má formação congênita;
  • Doenças genéticas;
  • Desnutrição;
  • Pressão alta (durante a gravidez, além de prejudicar o feto, é a maior causa de morte materna no Brasil);
  • Sífilis;
  • Drogas: é o termo que designa tanto os medicamentos como os tóxicos. Os mais consumidos são os analgésicos, diuréticos, antibióticos e tranquilizantes. Entre os tóxicos de maior uso destacam-se o fumo e o álcool. Além desses, a maconha, cocaína, barbitúricos, anfetaminas, elevam as complicações durante a gravidez, com grande possibilidade do nascimento de crianças com sérios problemas neurológicos.

CAUSAS PERI-NATAIS:

Atingem o bebê durante ou imediatamente após o parto. Exemplos: Erros médicos, prematuridade, lesão no crânio.

CAUSAS PÓS-NATAIS:

São aquelas que ocorrem após o nascimento. Exemplos: Acidentes de trânsito e de trabalho, violência urbana (tiros, facadas etc), desnutrição infantil, mergulhos, quedas etc.

PREVENÇÃO:

  • Fazer acompanhamento médico pré-natal;
  • Vacinação contra diversos agentes;
  • Conscientização no trânsito;
  • Alimentar-se bem;
  • Não ingerir drogas;
  • Atividades físicas.

PREVENÇÃO PRIMÁRIA:

  • Promoção à saúde;
  • Moradia adequada;
  • Escolas;
  • Áreas de lazer;
  • Alimentação adequada;
  • Educação em todos os níveis;
  • Proteção específica:
    • Imunização;
    • Saúde ocupacional;
    • Higiene pessoal e do lar;
    • Proteção contra acidentes;
    • Aconselhamento genético;
    • Controle de vetores.

PREVENÇÃO SECUNDÁRIA:

  • Diagnóstico precoce;
  • Inquerítos para descobertas de casos na comunidade;
  • Exames periódicos, individuais, para detecção precoce de casos;
  • Isolamento para evitar a propagação da doença;
  • Tratamento para evitar a progressão da doença;
  • Limitação da incapacidade:
    • Evitar futuras complicações;
    • Evitar sequelas.

 PREVENÇÃO TERCIÁRIA:

  • Reabilitação;
  • Educação Física;
  • Fisioterapia;
  • Terapia ocupacional.

  •